Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




Escravidão no Brasil
 


A origem da escravidão humana perde-se no tempo e se oculta pela poeira dos séculos

que envolvem a própria história do HOMEM....



Escrito por Colégio Águia Master às 23h45
[] [envie esta mensagem
] []





Tópicos

                                                   •Surgimento no Brasil dos Escravos

                                                   • Trafico Negreiro

                                                   •O Trabalho Escravo

                                                   • Resistência dos Escravos

                                                   •Abolição da Escravatura

                                                   •Herança dos Escravos

                                                   •No Contexto do Estado de São Paulo



Escrito por Colégio Águia Master às 15h19
[] [envie esta mensagem
] []





Surgimento no Brasil dos Escravos

 

     No Brasil, a escravidão teve início com a produção de açúcar na primeira metade do século XVI. Os portugueses traziam os negros africanos de suas colônias na África para utilizar como mão-de-obra escrava nos engenhos de açúcar do Nordeste. Os comerciantes de escravos portugueses vendiam os africanos como se fossem mercadorias aqui no Brasil. Os mais saudáveis chegavam a valer o dobro daqueles mais fracos ou velhos.

     O transporte era feito da África para o Brasil nos porões do navios negreiros. Amontoados, em condições desumanas, muitos morriam antes de chegar ao Brasil, sendo que os corpos eram lançados ao mar.

     Muitos dos indígenas também foram vítimas. Entre as tribos índias, a escravatura era infligida aos prisioneiros capturados nas guerras tribais. Esta não era a única forma de se obter escravos, os índios reduziam também à escravatura os fugitivos de outras tribos a quem davam refugio. Entre as tribos que praticavam a antropofagia os escravos eram freqüentemente devorados durante os rituais. Com a chegada dos portugueses os índios passam a vender muitos dos seus prisioneiros em troca de mercadorias.



Escrito por Colégio Águia Master às 15h18
[] [envie esta mensagem
] []





O Trafico Negreiro

 

     O trafico de escravos foi um dos piores acontecimentos da historia da humanidade. Homens, mulheres e crianças eram embarcados em navios negreiros e eram transportados na piores condições possíveis. Eram mantidos em porões de navios, todos uns em cima dos outros, o ar nau se circulava tornando-se infestado. Todos eles eram mal alimentados, alem de terem pouco direito de tomar água, ela era quente devido ao calor. Desta forma, muitos deles não agüentavam o sofrimento e morriam durante a viagem.

     Quando chegavam ao destino, eram vendidos em mercadorias de escravos e tratados como animais , sendo separados os casais e filhos e vendidos a parte.

     Os escravos que davam lucros eram jovens e saudáveis, já que eram capazes de agüentar o trabalho.

     O trafico negreiro durou mais de três séculos e provocou uma grande catástrofe demográfica na população africana.

 



Escrito por Colégio Águia Master às 15h18
[] [envie esta mensagem
] []





O Trabalho Escravo

     Os escravos eram tratados da pior forma possível. Trabalhavam muito de sol a sol. As mulheres negras também sofreram muito com a escravidão, embora os senhores de engenho utilizassem esta mão-de-obra, principalmente, para trabalhos domésticos. Cozinheiras, arrumadeiras e até mesmo amas de leite foram comuns naqueles tempos da colônia.

     Havia vários tipos de escravos como os de engenho que trabalhavam nos campos outros cuidavam das canas.

     Havia também o escravo de mineração que eram colonos que exploravam as minas e o escravo urbano que serviam para serviços domésticos, com os ofícios mecânicos, lavadeiras, cozinheira, doceira, rendeiras, mocambos, amas de leite e quitandeiras.



Escrito por Colégio Águia Master às 15h17
[] [envie esta mensagem
] []





Resistência dos Escravos

 

     No modo geral os feitores não podiam bater de pau nos escravos pois poderia levá-los a morte e alem disso os dono dos escravos acabavam entrando em prejuízo na resistência dos escravos.          

     Mas podiam dar-lhe com cipó para os “educar”, também não podiam os amarrar e castigar no tronco.



Escrito por Colégio Águia Master às 15h16
[] [envie esta mensagem
] []





Abolição Da Escravatura

     Muitos escravos eram comprados por fazendeiros e senhores de engenho, que os tratavam de forma cruel e desumana.  

     Apesar dessa forma cruel se considerada “normal” pela maioria havia aqueles que eram contra este tipo de abuso. Estes eram os abolicionistas (grupo formado por literatos, religiosos, políticos e pessoas do povo). Toda essa pratica dura uns 300 anos. O principal fator que durou os escravos por um bom tempo foi à economia. As usinas substituíram os primitivos engenhos que com isso permitiu o menor numero de escravos, nas principais cidades, era grande o desejo do surgimento de indústrias, com isso seus objetivos foram se alcançando aos poucos, em 1950 entrou a extinção do trafico negreiro, vinte anos depois foi declara a a Lei do Ventre-Livre (de 28 de setembro de 1871). Que filhos de escravos se tornavam livres.

     Em 1885, foi aprovada a lei Saraiva - Cotegipe ou dos Sexagenários, negros acima de 65 anos eram livres, e em seguida veio à lei Áurea ocorrida em 13 de maio de 1888, que foi a liberdade total dos negros do Brasil.



Escrito por Colégio Águia Master às 15h16
[] [envie esta mensagem
] []





Herança dos Escravos

     Parafuso é a dança da fuga. Os escravos se disfarçavam de fantasma para fugir do engenho. Eles saiam rodopiando no meio do canavial, vestidos de branco. Hoje, a dança virou brincadeira de criança .

     Outras heranças vindas pelos escravos é a feijoada que nesse aspecto, entretanto, é importante ressaltar que partes dos porcos utilizados no preparo da feijoada não eram usados pelos escravocratas.



Escrito por Colégio Águia Master às 15h15
[] [envie esta mensagem
] []





No contexto do Estado de São Paulo

     Durante o período escravocrata, a cidade brasileira de São Carlos, no estado de São Paulo, atingiu o segundo lugar no tráfico de escravos para o interior paulista A economia da povoação era totalmente agrária com alguma produção de cana e quase totalmente voltada para a subsistência. Na época o negro era a base da produção, sendo o escravo quem trabalhava no campo e produzia o alimento e a renda.



Escrito por Colégio Águia Master às 15h14
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]